Minhas Pinturas

Seguidores

Minha lista de blogs

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Educação ou falta

Jarro e flores 30x20 óleo sobre cartão




Digo sempre para meu marido, como um chiste, que moramos num bairro que deve ser o nascedouro dos shoppings, pois são muitos uns grandes outros não tanto, mas antes de mais assunto, ele, meu marido odeia shoppings, eu não compreendo o porquê, mas respeito. Vejam só o que acho bom nos shoppings, tem ar condicionado em toda a sua extensão, piso de porcelanato ou granito ou cerâmica, tudo lisinho, portanto  não se corre o risco de cair, não se apanha sol nem chuva, é um ambiente cheirosinho, quando se tem fome, temos uma ou mais praças de comida, tem várias lojas a nossa disposição.  Então porque não gostar de um ambiente assim?
Voltando ao assunto, não sou rata de shoppings, nem consumidora compulsiva, mas é só escolher um e ir. Aqui em casa estamos numa fase de escorrega, derruba, cai quebra ou enguiça, quebrei um jarro que amava , e outro que não amava tanto assim. Como é primavera e não se pode viver sem flores, lá fui eu.
  Para mim o defeito é que gosto de lugares calmos e nem todos são calmos, tem uns com plays e a algazarra infantil é enorme, isso não significa que não goste de crianças, pelo contrário bebezinhos me derretem, só tem um detalhe gosto de crianças educadas. Este trelele todo é para falar da minha ultima ida ao Barra shopping que é um dos grandes  e com certeza acharia um jarro para minhas flores. Lá estava eu distraída em busca do que precisava e quase cai sobre uma criança que veio correndo e gritando de repente deitou-se no chão sobre meus pés,  e berrava eu quero, eu quero... O que será que eu estaria devendo àquela criança?  De repente  a mãe apareceu parou perto da cria e  ficou só olhando, a criança por um tempo, que vermelha como um tomate maduro, lágrimas nenhuma, era um choro fictício só de gritos e se esperneava, rolava no chão. e a mãe FINALMENTE  gritou “ tá bem  amorzinho a mamãe vai comprar, vou comprar”. Imediatamente a criança levantou, parou de “chorar”, saíu de cima de meus pés doloridos, e não ouvi nenhum pedido de desculpas, enquanto eu  entre o espanto e a raiva, pela cena deprimente da falta de energia e mesmo de  falta de  educação daquela mãe para passar para o filho, fui embora para a finalidade da minha ida àquele shopping, mas  os gritos da tal criança ficaram nos meus ouvidos e fiquei pensando como será esse adulto, como reagirá aos nãos da vida?  Gritará até conseguir o que quer, roubará quando  não lhe fizerem a vontade?  Apanhará de alguém pela petulância? Nem posso imaginar o resultado dessa falta de limites no futuro deste pobre menino mimado.
Mas o fato concreto é que  tive vontade de bater naquela mãe!! Se fosse sempre assim até eu odiaria shoppings, como meu marido odeia, embora nunca tenha acontecido isso com ele, ou melhor com seus pés : )).                           FIM
Léah




24 comentários:

  1. rssss, parece que combinamos a postagem! Pois o meu ilustre gosta de shopping, mas não tem paciência para as compras. Você vai ver... Eu já sou bem chegada. Mas o episódio Criança mal educada, é difícil aguentar, não tenho nenhuma paciência! Se me esmerei nos meus, educadíssimos, como irei conviver com crianças cujas mães são dominadas? E isso acontece nas lotações, igrejas, restaurantes, shoppings. Amiga... eu não aguento!!! rsss
    Beijinho, gostei, mais um cotidiano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Engraçado, primeiro fui lá no seu blog e ri bastante com sua crônica, aí chego aqui estamos nós falando de "sofrimentos" e shoppings, e nossos diletos maridos :)
      Gente mal educada está crescendo de maneira desproporcional, parece uma doença, vai ver tem algum mosquito transmissor.:):)
      Beijinhos, Léah

      Excluir
  2. Muy cierto es que a la mayoría de los hombre no les gusta ir de compras y menos a mirar escaparates, pero para nosotras las mujeres, es una gran distracción aunque no se compre nada...
    pero sí, en todos los lugares hay niños que son muy molesto porque los padres les dan todos los caprichos.
    Es una belleza la pintura del jarrón de flores, tiene un color muy atractivo y mirándolo ya no hacen falta flores frescas, porque frescura le sobra a tu bella pintura.
    Un placer admirar tu obra Leáh.
    Besos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Querida meu marido só não gosta de shoppings, mas ama ir a supermercado, enquanto eu gosto de shoppings e detesto ir a supermercado, mas o que detesto mesmo é encontrar pessoas mal educadas, isso me tira a paciência.
      Amei sua visita, e obrigada pela gentileza de suas palavras.
      beijinhos, Léah

      Excluir
  3. Bom dia querida Léah
    Uma cena deprimente com certeza. Ser atropelada por uma criança birrenta e uma mãe que não impõe limites e nem mostra as regras de conduta e da boa educação.
    Talvez você nem tenha encontrado o jarro que procurava mas em compensação esmerou-se na pintura deste para deleite do nosso olhar
    Tenha um excelente dia
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gracita, a cena foi deprimente e espero nunca enfrentar outra.
      bom é que consegui encontrar meu jarro :)
      Obrigada pela visita e gentileza.
      beijinhos, Léah

      Excluir
  4. Também detesto shoppings.
    E mamãs e papás que educam os filhos de maneira a que eles aprendam rapidamente a manipular/explorar os adultos.
    Excelente tela, como sempre. Tal como o seu texto, que aflora um tema cada vez mais visível na sociedade atual.
    Léah, tem um bom fim de semana.
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Pedro a falta de educação crescente é irritante e esta sempre presente em todos os lugares, fico até espantada quando encontro pessoas educadas...
      Beijinhos, Léah

      Excluir
  5. Amiga, onde está o seu espanto? Esses casos são " o pão nosso de cada dia" tanto aí" como aqui. Vou-lhe contar um caso! Um dia fomos ao shopping com os filhos e os meus netinhos ( hoje com 9 e 7 )que teriam na altura tv 4 e 2. Foram eles brincar num escorrega onde andavam muitas outras crianças pequenas; uma com tv 10 ou mais começou a atropelar os mais pequeninos porque descia e subia pelo mesmo lado, não se importando com os pequenininhos que estavam a escorregar, alguns com a ajuda dos pais; comecei a ficar incomodada com isso e como não vi nenhum segurança, fui com carinho falar com a menina pedindo-lhe para fazer da maneira correta e assim não magoar os mais pequenos; a menina estava a concordar comigo, mas, de repente vem a mãe que me destrata dizendo que não tenho autorização para dar ordens à filha e foi tão repentina que nem me deu chance de explocar. Sabe, por muito menos, eu já dei um tapinha ao meu neto, num shopping também; dei por ele ter reagido mal a um miminho feito por uma funcionária; não gostei, ele tb ficou bravo comigo e o tapa saiu; quando os pais voltaram disseram que fiz muito bem; mas, se por acaso dissessem o contrário diria logo que era a ultima vez que ficava com ele enquanto faziam as compras.Como vês amiga, os pais de hoje são mais culpados que as proprias crianças; então aquela mãe nao estava a ver que a sua filha poderia machucar os pequenos e que o escorrega é para subir pelas escadinhas e não ao contrário?
    Aliás eu até a achei grande demais para usar aquele brinquedo. Bem... passou e o importante é que conseguiste comprar o jarro Gostei muito do teu quadro, pois adoro flores; já me atrevi a pintar uma cesta cheia delas e, apesar dos pesares, ( da pouca qualdade da pintura!?!?! ) está a decorar a minha casa, aliás como acontece com outros que pintei nas aulas de pintura Há muito que cansei e agora " só pinto o sete " , mas não como as crianças mal educadas. Sabes o que significa pintar o sete, não sabes? É que não lembro se esse termo era usado no Brasil . Beij7nhos, amiga e um bom fim de semana
    Emilia

    ResponderExcluir
  6. Vamos aos erros...explicar...beijinhos
    Emilia

    ResponderExcluir
  7. Oi Querida Emilia, me espanto a cada dia com a crescente falta de educação das pessoas!!! Parece até uma virose espalhando-se pelo mundo, e a culpa é sempre dos adultos visto que as crianças só seguem exemplos, afinal ninguém nasce sabendo o que é ser educado. É lastimável lidar com pessoas assim.
    Sim aqui temos esta expressão pintando o sete... Amei nossa conversa, que aqui dizemos "amei nosso papo" são as gírias que criam e acabam entrando na nossa mente,mas é divertido,:~)
    Beijinhos e um final de semana pintando o sete.
    Léah

    ResponderExcluir
  8. Gostei muito da sua crónica, estimada Léah,
    assim como da sua bela pintura.
    Os pequenos sabem muito bem como conseguirem o que querem e essas mães fazem-se tontas, para não se incomodarem...
    É demasiado triste e revoltante presenciar e parece ser um problema internacional...
    O nosso Inverno é frio e chuvoso, por vezes chove mais de uma semana ininterruptamente, os Centros comerciais são uma boa opção de passeio.
    Um excelente fim de semana, para si e família.
    Beijinhos.
    ~~~~~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Majo, chega a ser deprimente ver a falta de educação crescente, a culpa é sempre dos pais, que não sabem educar, não têm envolvimento com os filhos são apenas adereços para eles...
      Como sabes as estações aqui não são marcadas a gente sabe que estação é, mas é uma loucura, ontem um forte sol bom para a praia, hoje amanheceu nublado, abriu sol, fechou de novo e esfriou! Assim costuma ser o outono a primavera e o verão, o bom é que não tem neve, o inverno passado fez um frio gelado e úmido com chuvas, mas um dia ou outro fez um solzinho.
      Desejo que seu inverno fique mais ameno com dias mais quentinhos. Obrigada pela agradável conversa, e visita.
      Beijinhos, Léah

      Excluir
  9. Muito boa a sua crônica, Leáh, abordando esse tema
    sobre o comportamento de certas crianças para as
    quais não foram ensinados os seus limites e, muito
    menos, o respeito para com as demais pessoas (além
    da mãe dela, se é que a respeita). Às vezes nos
    deparamos, Taís e eu, com criaturas como essa
    em restaurantes, e então quase sempre perdemos
    o apetite. Parabéns também pela bela pintura.
    Um ótimo final de semana.
    Abraços.
    Pedro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Amigo Pedro o resultado para essas mães certamente virá quando eles se tornarem adolescentes e adultos...
      Está ficando difícil frequentar restaurantes por aqui também, as crianças sentam, levantam se metem entre as mesas das pessoas, tem as que choram por não quererem comer... Acho que tenho uma família de ETS, pois nunca passei por estes vexames com meus filhos quando pequenos.já estou me achando a errada.
      Obrigada pela visita e pelo "papo"
      bom final de semana sem crianças birrentas.
      Abração Léah

      Excluir
  10. Concordo consigo em relação a estes espaços, que também procuro sempre que preciso, mas de facto essa criança precisava de limites e de ouvir a palavra não. cada vez mais é assim. Educar é difícil, dá menos trabalho dizer sim. Eu ainda acho que vale a pena ter trabalho e que é necessário educar.
    bjs e bom domingo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Graça: Acredito que a falta de educação crescente é o mal do século. E a preguiça dos pais em se envolverem também.
      Beijinhos, Léah

      Excluir
  11. Amiga Léah, como sempre brindou-nos com um episódio muito bem descrito.
    Não gosto de fazer compras, shoppings, e afins e o melhor é que cá em casa ninguém gosta.
    Mas como temos que viver lá vamos correndo e nem tempo tenho para observar quase nada :)
    Também detesto má educação, tanto em crianças como em adultos como foi esse caso.
    Mas a amiga acabou por encontrar a tal jarra ?
    A da sua tela é linda!

    Um beijinho e bom domingo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Amiga, pelo menos encontrei o Jarro, até bem bonitinho :).
      Beijinhos, Léah

      Excluir
  12. Infelizmente Léah também já assisti a cenas tristes dessas.
    Lindíssima a sua tela.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi amiga Maria isso é mesmo uma cena desagradável para se viver.
      beijinhos, Léah

      Excluir
  13. Aí as crianças crescem, viram adolescentes que não sabem conviver com limites, e os adolescentes crescem e viram adultos que não conseguem cortar o cordão umbilical e assumem vida afora um comportamento infantilizado que se reflete no meio como um todo, às vezes sutil, às vezes seriamente.

    Excelente reflexão. Desalentadora, porém excelente.

    Abraços de luz!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei de tudo do seu comentário de ir até seu blog ler e me divertir por lá.
      beijinhos, Léah

      Excluir
  14. Mestra do pincel de da pena, realmente é confrangedor e constrangedor certos eventos que nos ocorrem. No seu caso, patético a um observador externo. Coloquei-me em sua aproximação suposta à hora do fato - que triste uma senhora no seu pleno direito de liberdade e dignidade humana participar e assistir desenlaces de cena tão surreal, pois não vejo outro nome para a qualificar. Uma mal educada e má educadora jovem mãe que irresponsavelmente pare um filho e o coloca no mundo para criar problemas a terceiros e a ele mesmo. Imagine-o crescido.... Só ser tolerante com as diferenças não basta, e pelo menos temos que nos indignar. Abraço fraterno. Laerte.

    ResponderExcluir