Minhas Pinturas

Seguidores

Minha lista de blogs

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

A CASA

óleo sobre tela 30cmx 20cm - Rosas rosas

Foi construída com suas mãos dia após dia, quartos amplos, copa cozinha preparada para grandes refeições, salão com três ambientes. Caminhando para a parte de traz uma área com churrasqueira e uma grande mesa feita de madeira rústica reciclada e assim também os bancos, mais para traz ainda uns arbustos e uma piscina.
Ele levou bem uns três anos para acaba-la e estava pronto para a oferta à sua amada.
Giovane era apaixonado por sua amiga Riva que não sabia desta paixão, que ele mantinha tão escondida com sua timidez.
Quando nasceu a primeira rosa no jardim plantada por ele convidou-a para o grande presente e claro o pedido de casamento, só que através de um subterfúgio.
_Riva preciso comprar uma casa e me indicaram uma, mas como não entendo muito nem tenho o seu bom gosto, gostaria que fosses comigo para dar sua opinião, o que você acha?_
Embora ela tenha ficado meio espantada e após algumas perguntas, resolveu aceitar, e lá foram no dia marcado para o tal endereço.
_Nossa Giovane que casa linda, por fora está parecendo uma mansão, que dirá por dentro!_
Claro que a cada cômodo que ela ia vendo os elogios iam aumentando e a confiança de Giovane também. Ele só não mostrou uma parte do quintal onde havia um portão alto de madeira do qual nada se via através. Lá naquele espaço estavam todos os seus amigos e amigas aguardando o momento certo para entrarem na casa e parabenizarem os dois, já que a combinação feita com Giovane fora esta e o sinal era contarem dez minutos, após ele se afastar  do tal portão. Todos em silêncio sepulcral ouviram ele dizer em voz alta vamos até o jardim, tem uma linda rosa lá.
_É? Eu não vi!_ disse Riva
_Mas eu vi quando entramos_
sentaram-se num banco de jardim em frente à rosa, e Giovane fez o pedido.
_Riva esta casa e meu coração, esta rosa e todas que venham a nascer  será tudo seu se aceitares se casar comigo, eu a construí especialmente para nós, com todo amor que sinto por você desde o dia em que a vi pela primeira vez._
_Como assim para nós? Nunca nem sequer uma só vez você falou ou demonstrou este sentimento por mim, você está brincando comigo?_
Antes que Giovane pudesse falar alguma coisa, apareceram os amigos em bando, cantando parabéns pra vocês, Riva pálida e constrangida com a situação, ficou alguns minutos sem saber o que fazer, mas sabia o que sentia, apenas uma amizade por Giovane, e um grande amor por Paulo que naquela semana antes de viajar a trabalho, a  havia pedido em namoro.
Controlou sua aflição e nervosismo pediu silêncio e falou.
_Giovane, se você não tivesse feito segredo deste seu sentimento, nada disto teria acontecido, seu empenho durante tanto tempo fazendo esta casa, que é muito linda, mas uma casa não vai mudar o que sinto por você, que é só uma grande amizade, por isso não posso aceitar seu pedido._
Ouviu-se um  coro de oh, que pena! Enquanto com os olhos marejados de lágrimas Giovane tentava controla-las para que não rolassem por seu rosto.
Riva pediu licença a todos e foi embora, enquanto Giovane ficou ali triste sendo consolado por seus amigos.
Alguns anos depois:
Muitas rosas nasceram naquele jardim, mas a casa foi vendida, Giovane mudou de cidade, e Riva casou-se com Paulo.
Fim
Léah

27 comentários:

  1. Nossa, lindo conto, a pintura é linda, tudo perfeito, bem assim!
    Seu conto nos mostra que, a vida tem disso, quando nos iludimos e queremos que essa ilusão seja de concretização de sonho sonhado de forma unilateral, dá nisso, a desilusão é terrível!
    Ela não teve culpa e viveu o sonho dela, ele arcou com a triste realidade de saber que, nunca fora o amor da moça que já estava apaixonada!
    Sonhar é bom, mas é preciso compartilhar para que se consiga o objetivo,isso é, quando o sonho envolve outra pessoa, no caso sonhar a dois!
    Abraços linda amiga, lindo conto, amei ler!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Ivone
      Você tem razão resolver o destino de outra pessoa sem que ela nem desconfie é loucura!!Não há timidez que desculpe...
      Obrigada pelo comentário, beijinhos
      Léah

      Excluir
  2. Obrigada por compartilhar imagens e palavras tão bonitas e de tanta sensibilidade.
    Abraço carinhoso!
    Feliz Primavera.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Sandra o prazer de vê-la por aqui é todo meu, você é muito gentil
      beijinhos, Léah

      Excluir
  3. Ay que hermosa historia aunque muy triste el final... pero claro, hay que hacer cada cosa en su lugar, primero pedir compromiso y después ya se verá.
    Muy bonito Léah, igualmente que el bello óleo que nos muestras hoy, lleno de color, muy precioso.
    Mucho arte tienes amiga, que Dios te lo guarde.
    Besos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá querida Elda estas certíssima o apaixonado colocou a "carroça na frente dos burros", kkkk.
      Grata pelo comentário, amei.
      beijinhos, Léah

      Excluir
  4. Nossa!! Que coisa horrível rss. Mas é o que dá quando se faz as coisas unilateralmente. Se tivesse se declarado antes de construir a casa... esperou demais. Mas a frustração do Giovane não tem medida, cruzes! E o constrangimento de Riva? Não queria estar no couro de nenhum, rs.
    Que conto, hein Léah! Mas essas coisas acontecem, sim!
    Beijo grande, querida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Taís como dizia minha mãe
      ele "contou com o ovo no interior da galinha", kkkk. Acho também que a timidez atrapalha muito a vida de quem a tem.
      Obrigada por suas palavras
      beijinhos, Léah

      Excluir
  5. Linda a cerquinha azul com as flores! Adoro essa delicadeza de pintura.
    (Escrevi lhe perguntando sobre algo técnico do quadro dos seguidores...ainda aguardando!rs)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Taís onde, onde está este recado que não acho, já procurei no email, aqui e nada?!! Mande para meu email. Estou aguardando
      bjs

      Excluir
  6. Os timings do amor são muito exigentes... e guardar para mais tarde o que se devia ter feito já ontem, pode ser fatal...
    Gostei da história, interessante e muito bem contada.
    Quanto à sua tela, que se ajusta ao texto, é de uma rara beleza. Excelente, minha amiga, as suas pinturas são de uma apuro técnico e artístico notáveis.
    Léah, tem um bom fim de semana.
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jaime concordo plenamente com você o erro dele foi falta de timing, deu mais importância ao presente material e não ao amor.
      Grata por seu comentário tão gentil sempre.
      beijinhos, Léah

      Excluir
  7. Querida Léah, as suas telas demonstram grande sensibilidade nos detalhes e na escolha das cores.
    Esta tela, é tão bela e primaveril.
    Quanto ao conto, fiquei um pouco frustrada pois pensava que ia acabar bem, mas também porque Giovane esperou tanto tempo :)

    Um beijinho e bom fim de semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A culpa foi da timidez dele, eu sou inocente :)!
      Quanto a tela vai começar a primavera por aqui e é a estação que mais gosto.
      Amei seu comentário, bom sábado melhor domingo e beijinhos
      Léah

      Excluir
  8. Querida Leah: Tanto el texto como la preciosa pintura denotan una gran sensibilidad y buen gusto. Mis felicitaciones y un abrazo!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Mercedes querida vizinha de País, amei ver você por aqui e muito obrigada pela gentileza de seu comentário.
      Bom final de semana, beijinhos,
      Léah

      Excluir
  9. Querida Léah,
    Agora que regressei de férias já pude apreciar o seu blog calmamente, e posso dizer que é muito bom.
    Essa tela das rosas é lindíssima, assim como os gladíolos roxos. (Gosto muito de gladíolos, foi a flor do meu bouquet de noiva, brancos, é claro!)
    Gostei muito do seu conto, apesar do final ser... decepcionante. Mas é realista, porque na verdade na vida nem tudo são rosas.
    A timidez extrema pode levar a que se percam grandes oportunidades na vida, e foi o que aconteceu com o pobre Giovane. Mas ele era novo, com certeza, e outros amores lhe terão aparecido pela frente... :)

    Dias felizes lhe desejo, querida amiga.

    Bom Fim-de-semana
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ola Mariazita obrigada por suas palavras e presença por aqui deste lado.
      beijinhos, Léah

      Excluir
  10. Que conto admirável, Léah!
    Muito original, bem construído e descrito!
    Na nossa língua rústica, dizemos que Giovane colocou o carro à frente dos bois.
    Penso que todos lamentamos a sua falta de sorte, pois acreditamos que não queria de nenhum modo comprar o amor...
    Há pessoas assim, com enorme dificuldade nata para a sedução.

    A sua tela está muito bela e amorosa e é pena que ilustre um jardim que não foi abençoado por esse terno sentimento.
    Dias primaveris muito aprazíveis,
    ~~~ Beijinhos ~~~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Majo O personagem desta historia não tinha timing, fez tudo na hora e tempo errados...

      Amei seu comentário, grata pelas gentis palavras
      beijinhos, Léah

      Excluir
  11. Léah minha doce amiga, bom dia!
    Que conto incrível com uma doçura e magistralidade em cada palavra tão bem delineada ao narrar a cena e o episódio. Não se pode lamentar a sorte do rapaz pois ele escolheu guardar para si os sentimentos e quando resolveu externá-los o tempo para aquele amor já havia passado.
    Essa tela com estas rosa majestosa é soberba. Luz e cor emanam de cada um dos seus traços
    Querida amiga tenha um domingo feliz e abençoado
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Olá Querida Gracita gostei de saber que você gostou da história e da tela, obrigada pelas palavras tão gentis.
    beijinhos, Léah

















    ResponderExcluir
  13. Querida Léah, enviei e-mail ontem!
    Beijinho!

    ResponderExcluir
  14. éah,
    Gostei muito de sua pintura. Excelente. Parabéns também
    belo conto, em que o amor apresenta-se com seus mistérios
    insondáveis. Giovane ficou sem a casa e a mulher, e Riva
    casou-se com Paulo. São tantos esses mistérios…
    Abraço.
    Pedro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leáh,sinto ter tirado a primeira letra do seu nome. Minhas escusas.
      Abraço.

      Excluir
    2. Olá Pedro nada a desculpar.
      È você tem razão, também acho e eu já plagiando sem querer plagiar "o amor tem razões que a própria razão desconhece", acho que a timidez também (:
      Grata pelo comentário.Abração
      Léah

      Excluir
  15. Um volt face inesperado... confesso que também eu estava à espera de um happy end... mas a vida é mesmo assim... pelo que o conto se aproximou da realidade... que nem sempre corresponde às expectativas...
    Riva mostrou seu verdadeiro amor por Paulo... pois perante um pedido assim... certamente muita mulher teria vacilado... e aceite na hora uma outra proposta que lhe oferecesse mais estabilidade...
    A pintura... mais uma vez... absolutamente deslumbrante... e em total sintonia com o conto...
    Beijinhos
    Ana

    ResponderExcluir