Minhas Pinturas

Seguidores

Minha lista de blogs

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

REPOUSO



Hoje sem vontade de pintar,
Hoje quero ver somente a tela nua com toda a sua brancura
Quero sentir a ausência da inspiração, da beleza, da criação,
 E deixar as cores repousadas adormecidas
Fechar a porta, andar a esmo, sem direção.
Hoje quero olhar a natureza sem ousar retratá-la.
Hoje  mesmo com tantas flores a me convidar.
Quero apenas sentir seus odores, sentir o sol a me queimar.
Hoje sem vontade de pintar.
Léah
acrílico sobre eucatex  35x25
 

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Energia



Quisera que esta flor amarela que surgiu solitária fosse a indicação de que devemos usar nossa energia contra as tristezas que nos chegam todos os dias pelos noticiários, já que o verde da esperança de um Brasil melhor está murchando.
Léah
escada e flor amarela 40x 25
óleo sobre tela
 

domingo, 15 de novembro de 2015

Minhas Primaveras



Já vivi muitas primaveras, calmas ou tensas. Devo isto ao meu tempo de vida neste mundo de meu Deus!
Os jardins onde vivi nem sempre foram grandes com muitos canteiros e variedades de flores ou com árvores floridas.
Já vivi em apartamento com um pequeno terraço onde só cabiam dois vasos de plantas, mas a primavera se fazia notar, pois sempre uma flor lá estava.
Hoje tenho flores de varias cores, gerânios, crisântemos, margaridas, rosas, buganvílias, flamboyants, cheirosos manacás, e as murtas que à noite perfumam minha varanda.
Mas com poucas ou muitas flores quando a primavera invade minha vida as tensões do mundo atual, a crise do meu país  tudo fica mais esperançoso. E mesmo se as flores não estivessem por aqui eu as criaria com uma tela tintas e pincéis.
Quintal
tela 40x20 óleo- Léah
 (vendido)

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Será?



óleo sobre eucatex 35x35 a varanda

A varanda é adornada com várias espécies de plantas, gosto de ali sentar-me nas manhãs de verão, quando o sol se levanta por detrás do morro e aí começa a algazarra da passarinhada avisando que para eles é hora de trabalhar, ou quem sabe contar as aventuras ou as desventuras do dia anterior. Olhando para um canto do jardim vi um ninho de pássaro caído, com certeza a chuva e a ventania da noite anterior.
 A natureza às vezes nos propicia alegrias e tristezas, para os humanos diante de qualquer dessas situações sabemos quais as reações risos ou lágrimas, mas fico pensando será que os pássaros choram quando perdem o ninho num temporal, ou um predador lhes come os filhotes?
Andam pelos fios da energia uns saguis,  até alcançarem os galhos das árvores, vêm roubar os ovos dos ninhos dos passarinhos, e estes por sua vez vão a bandos dar-lhes bicadas, é o espirito de corpo, a amizade entre os animais, ou talvez façam parte de uma grande família, quem saberá!
Será que sou louca ou idiota por ter esses pensamentos, que às vezes me atormentam? O fato é que independente de minha vontade eles veem a minha mente, que coisa!
 Fazendo uma analogia como dizia minha saudosa sogra: “- O que não se come, não faz mal a barriga."- 
É bem assim, se parar de pensar nisso, não sofro, porque resposta não terei nunca, o problema é conseguir parar de pensar!
O melhor é eu cuidar de meus afazeres que não são poucos, olhar para outros acontecimentos à minha volta, ser menos lúdica e mais realista.
Léah

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Voar, voar




Queria voar, ver o céu de pertinho, sentir o vento me levando.
Queria voar exercitar minhas asas com a passarada,
Queria voar, ver as copas das árvores e pousar em seus galhos.
Provar o néctar das flores, ser livre não ter donos.
Ter muitos amigos, e vagabundear.
Cantar de alegria, e não para exaltar as dores.
Queria voar, colher meu próprio alimento.
Ao invés de ganhar.
O que será que fiz para viver nesta prisão?
Porque os humanos me prenderam, qual a razão?
Quando escutam meu trinar não estou cantando
Estou gritando socorro, pois  quero voar.
Será que não entendem que Deus me deu asas
Abram as portas, as janelas e deixe-me voar.
Queria voar sair ver o sol, a chuva, o mar.
Ter que viver e morrer nesta gaiola.
Vendo a paisagem aos pedaços.
É melhor morrer já que não posso voar.
 Adeus.
Léah
 desenho crayon
copiei de uma velha pintura minha,  que por erro de postagem saiu duas vezes, a velha pintura e o desenho.