Minhas Pinturas

Seguidores

Minha lista de blogs

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Feliz Ano Novo

Para todas as amigas e amigos um Ano Novo com 
muita saúde, paz, harmonia e que em 2016 o Mundo seja bem melhor para todos nós.
Léah

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

NATAL

(árvore de Natal do shopping Down Town no Rio de Janeiro Barra da Tijuca)



Cheiro de Natal
O abacaxi caramelizado soltando seu cheiro adocicado,
Os pêssegos, maçãs e mangas os mais cheirosos,
O pernil no forno crepitando, a bacalhoada o vinho  todos com seus cheiros e sabores, 
a agitação da cozinha,  a mesa posta o burburinho da família e depois a troca de lembranças no “amigo oculto.”
Conversas misturadas aos risos e gargalhadas, e num momento de silêncio saudades dos que se foram.
E quando tudo se acalma e os pensamentos aquietam percebemos o que está presente nos sabores, risos, conversas e odores, é o Espírito do Natal perfumando nossos sentidos, alegria e união.
Léah.

  A todos os amigos que durante o ano de 2015, me emocionaram e encheram minha vida com atenção e amizade, quero agradecer e desejar que tenham um Natal muito alegre com muito amor, saúde, fartura e muita paz em seus lares
Com todo o carinho Léah.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

O MAR



                                         Óleo sobre tela 45x35 ="mar azul"
O mar
Uma amiga que mora longe do mar veio visitar-me, estava ela com problemas existenciais e
procurou-me para matar  saudades de mim, do mar e conversarmos, fomos andar pela beira mar, pois o tempo não estava bom para mergulhos.
 Sempre que preciso por uma razão qualquer de stress vou até ele para me acalmar, esta frase foi o começo de nossa conversa.
“-O que o mar faz para te acalmar?_” Perguntou-me ela.
A agitação do mar pode parecer incoerência, mas para mim não é, o mar horas agitado, horas mais calmo traz a areia e leva de volta, bate nas pedras, é sempre um espetáculo de força, é a mão de Deus, a natureza nos dando constantes lições de vida que se observássemos procederíamos bem mais acertadamente, enfim mesmo que eu não possa entender ou explicar o mar me põe no eixo.
 É bom olhar em volta com calma, pois nem sempre o caminho é estreito às vezes, temos curvas e a via se alarga, Isto é, a solução existe só temos que confiar e buscar a saída.
Ela me olhou meio descrente, mas eu apenas respondi a pergunta feita com toda sinceridade. Sentamos num banco à beira mar e lá escutei todas as suas queixas, revoltas e lágrimas até ela silenciar se acalmar e ficar com o olhar perdido no vai e vem do mar, um tempo depois mostrou vontade de voltarmos para casa. Notei alguns sorrisos e disposição de enfrentar a situação.
Todos os nossos assuntos postos em dia e nos entupirmos de lanches “engordantes,” ela foi embora.  
Mais ou menos duas semanas depois ela telefonou-me dando boas noticias e falando do fim dos seus problemas.
Não sou prepotente e vaidosa para achar que foi nossa conversa que a fez sair da crise, acho que a calma a analise da situação vista por vários ângulos leva a pessoa a ter respostas, mas quem sabe o mar ouviu suas queixas e através de toda aquela energia e força que ele mostra, contaminou-a assim como a mim.
 Tomara! Porque se foi dez pontos para o MARavilhoso MAR.
Léah

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

REPOUSO



Hoje sem vontade de pintar,
Hoje quero ver somente a tela nua com toda a sua brancura
Quero sentir a ausência da inspiração, da beleza, da criação,
 E deixar as cores repousadas adormecidas
Fechar a porta, andar a esmo, sem direção.
Hoje quero olhar a natureza sem ousar retratá-la.
Hoje  mesmo com tantas flores a me convidar.
Quero apenas sentir seus odores, sentir o sol a me queimar.
Hoje sem vontade de pintar.
Léah
acrílico sobre eucatex  35x25
 

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Energia



Quisera que esta flor amarela que surgiu solitária fosse a indicação de que devemos usar nossa energia contra as tristezas que nos chegam todos os dias pelos noticiários, já que o verde da esperança de um Brasil melhor está murchando.
Léah
escada e flor amarela 40x 25
óleo sobre tela
 

domingo, 15 de novembro de 2015

Minhas Primaveras



Já vivi muitas primaveras, calmas ou tensas. Devo isto ao meu tempo de vida neste mundo de meu Deus!
Os jardins onde vivi nem sempre foram grandes com muitos canteiros e variedades de flores ou com árvores floridas.
Já vivi em apartamento com um pequeno terraço onde só cabiam dois vasos de plantas, mas a primavera se fazia notar, pois sempre uma flor lá estava.
Hoje tenho flores de varias cores, gerânios, crisântemos, margaridas, rosas, buganvílias, flamboyants, cheirosos manacás, e as murtas que à noite perfumam minha varanda.
Mas com poucas ou muitas flores quando a primavera invade minha vida as tensões do mundo atual, a crise do meu país  tudo fica mais esperançoso. E mesmo se as flores não estivessem por aqui eu as criaria com uma tela tintas e pincéis.
Quintal
tela 40x20 óleo- Léah
 (vendido)