Minhas Pinturas

Seguidores

Minha lista de blogs

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Pausa nas telas

A margarida 2 desenho à crayon
Queridas amigas/os eu tenho que dar uma pausa nas pinturas e nas postagens vendi minha casa e estou com prazos curtos para a mudança e compra da nova.
Tenho sessenta dias por lei, para entregar a casa vendida ao seu novo dono, e como ele mora noutro país consegui que me  alugasse  por  mais um mês, minha ex-casa, rsrs! Parece piada, mas é fato e bom já que ele sai lucrando e eu ganho tempo para decidir qual casa escolher entre as que o corretor me mostrou.
Caixas cheias, gavetas vazias,  tudo empilhado, meu ateliê encaixado, uma loucura, uma canseira, só paro para comer, tomar banho e dormir, ah, esqueci suar, suar e suar, o calor está a 40 e tantos graus.
Estou feliz, aquele entra e sai de gente que na sua maioria quer só fazer turismo na casa das pessoas, já estava dando nos meus nervos. Foi preciso aparecer um gringo que veio por aqui nas olimpíadas e gostou do Rio, comprou minha casa  para passar férias, e ainda comentou que o Brasil está barato! Isso dói de ouvir, mas infelizmente é verdade, e está barato pra ele, para nós está caro.
 Vou tentar não me ausentar completamente, mas talvez fique restrita a comentar as postagens de vocês, já que não posso pintar. Espero que me desculpem por essa, mas vai passar rápido.
Obrigada pela compreensão e carinho de todos.

Beijinhos, Léah 

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Involução

Casa da Beth= 30 x 25 óleo sobre tela
(doado a dona da casa)

Minha amiga Beth  há alguns anos atrás comprou uma casa bem pequena e antiguinha num  bairro próximo ao meu, na época ela ficou feliz e eu preocupada, mas torci por ela. Conheço  por experiência própria o que é lidar com pedreiros, e ela queria  aumentar a casa essa era sua intenção. Ela foi em frente com coragem e decisão. Contratou uma firma de construção  que a roubou e não terminou nada. Só derrubaram aqui e ali,  gastaram o dinheiro dela e sumiram .
Beth é mãe solteira de Rafael, meu querido afilhadinho, seu namorado é músico e nada entende de pregos, parafusos ou pedras, mas Beth corajosa começou a fazer um curso numa escola técnica, imaginem do que! De construtora (pedreira).  Agora ela estava  a cavaleiro para comandar os pedreiros e assim foi. Reformou a pequena casa que cresceu, decorou e ficou uma gracinha,
Estava muito feliz, até descobrir que um dos seus vizinhos era maconheiro, o do outro lado bêbado e o da frente adorava ligar o som na maior altura. Beth e seu namorado muito cuidadosos com a educação do menino ficaram preocupados, mas ela acreditou que tudo isso seria acertado desde que falasse com eles usando sua educação e diplomacia, ela ainda tinha fé no uso da razão, mas foram tantos os aborrecimentos que ela vendeu sua linda casa e foi para um apartamento no mesmo bairro, mas pesquisou bastante sobre os vizinhos  antes de compra-lo.

As vezes basta uma pessoa para estragar nossos sonhos, viver em comunidade  hoje em dia é bem difícil, as pessoas esqueceram seus limites, extrapolam como se fossem únicos no mundo e quem quiser que se dane, faz parte da involução do mundo.
 Léah

   (tela e crônica são de conhecimento e aprovação de Beth)                                                    

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Feliz Natal

                                                 ( fotografia tirada da internet)



Aos queridos amigos volto só no próximo ano, se Deus permitir.
Foi um ano tumultuado de descobertas,  espanto e  desilusão, foi um ano de surpresas desagradáveis por constatar tanta corrupção, um mar de lama estendido sobre o Brasil  e nos deixou sem poder respirar e entender o porque e para que tanta ganancia!! Mas foi também ver com alegria e certeza de que existem pessoas honestas que amam nossa  pátria e que estão lutando por justiça e pela recomposição de nosso amado PAÍS.
Desejo não só para os brasileiros , mas para a humanidade que por conta de toda esta bestialidade, esta ganancia de poder que vem permeando o mundo e trazendo tanto sofrimento, desejo de coração, repito, que tenhamos um Natal de paz reinando em nossos lares, que a esperança cresça e principalmente nossa fé de que a justiça Divina se fará presente onde a justiça dos homens falhar.  
Saúde, paz e muito amor e um próximo ano bem melhor a todos.
Léah
 

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Os Quadros

óleo sobre eucatex 30x15 - daisies 3



Todos esses quadros que pinto durante o ano, seleciono e vão para uma entidade , neste ano irão, mais uma vez, para uma igreja católica que fica próxima à minha casa, coloco-os numa caixa e o  padre  na barraquinha da igreja para venda. A  renda vai para os pobres de uma comunidade ou o padre resolve de acordo com a vontade dele.  Não pratico uma  religião específica, pois cada uma delas apresenta um ponto ou até vários dos quais discordo, e também acho que o importante é a fé e a compaixão que move cada uma das pessoas  nesta terra e não a religião de cada um. Assim não agrido minhas crenças  nem as dos outros, o padre sempre pergunta se sou daquela paróquia ou de outra,  pois nunca me vê na missa! Embora a igreja seja pequena, e eu também,  será que se eu lá estivesse ele me veria ? Acho que não,  desconverso e deixo-o na dúvida.
Nem todo ano os quadrinhos vão para ele, já levei também para uns centros espiritas, e outras igrejas católicas.
 Quando resolvi fazer isto, fui numa igreja, de outro bairro, e fui com certo medo de oferecer o lote de quadros, achei que ninguém ia querer coloca-los para vender ou até achar ser uma caridade esdruxula   e que assim eles lá ficariam esquecidos ou postos no lixo, mas depois pensei o que vale é a intenção, a minha intenção, o depois não me pertence resolver. Afinal  eu queria fazer alguma coisa para ajudar alguém ou alguéns e como só sei pintar foi isso o que decidi, é pouco mas é melhor que nada e tem dado certo. Recebo sempre através  de telefonema retorno  a resposta de  que foram vendidos e ajudou a algumas pessoas. Não sei, nem quero saber quem comprou, nem  sabem também quem sou, mas quando o padre ou o espirita liga dizendo que foram vendidos, a felicidade que sinto é bem grande.
Este aí também pertence ao lote deste ano, tomara que neste ano  a venda  aconteça como nos outros  estou achando que a crise do país vai impedir, afinal a coisa está feia,  e comer é mais importante que arte, mas quem sabe ...  Esperar é a solução.  
                                                                          Fim
 Léah

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Pedindo desculpas

desenho crayon em cartão  "Apenas uma rosa"

Minha ausência se deve a duas situações, alguns dias  de algumas confusões e entrega de trabalho.
e depois um convite que não podia nem queria recusar fui fazer uma viagem até o País vizinho Argentina em Buenos Aires nas bodas de prata de minha prima. Lá tudo foi lindo, alegre e maravilhoso, para mim o ruim é chegar e voltar, tem o avião, aquela caixa metálica que me deixa claustrofóbica. Voltei tudo  resolvido  aqui estou pedindo desculpas pela ausência sem aviso oferecendo esta rosa pela compreensão de todos.
  .


quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Decorar para relaxar

O Bem te vi-  pintura à óleo sobre tela de eucatex


Sempre cometo acertos e erros, claro como todo ser  humano, mas nesta semana o meu erro foi supervalorizar minhas energias vitais, ando abalada  com os acontecimentos aqui no Brasil, com a corrupção vigente, quando fico preocupada e triste minha imunidade baixa por isso fiquei com uma gripe de dar nó em pingo d'água e resolvi mudar a decoração das paredes para me distrair deste problemão. Desci todos os quadros, e comecei a  embalá-los  o que não é tarefa fácil, prefiro pintá-los, dei uma pausa nesta tarefa e fui então pegar os substitutos no ateliê lá em cima .
Aí começou a loucura, sobe escada pega um ou dois, as molduras é que pesam,  desce escada, pousa-os, espirro, outro espirro, dor de cabeça, vai passar... Sobe escada pega um ou dois, sento-me lá em cima mesmo e me questiono, paro deixo aquela bagunça que formei lá embaixo, ou sigo? Não, parar  não dá, maridão vai rir de mim pois me mandou deitar e descansar, disse que eu não aguentaria, mas quando a teimosa aqui cisma ele deixa pra lá, e fica calminho esperando o resultado. Desço a escada a sala cheia de plástico de bolinha,  aquele que todo mundo gosta de ficar estourando! Eu também, espirro vai espirro vem, cabeça doendo, pernas doendo, febre subindo. Desisti empurrei tudo para um canto da sala, entrei no chuveiro quase frio para baixar a febre, odeio banho quase frio, o quentinho é bem melhor, mas ainda estava pensando, o cérebro ainda não tinha sido fritado pela febre enfrentei o odioso banho quase frio, tremendo de frio, enquanto  lá fora sol brilhava,  vesti um pijama e fui pro berço, um comprimido de "Naldecon noturno" embora fossem apenas dezesseis horas , ganhei um afago e um olhar de critica do maridão  e dormi até o dia seguinte.
Acordei bem melhor e depois da rotina do café da manhã tomado lá na varanda com um bem-te-vi gritando eu te vi, eu te vi, como me criticando pela teimosia do dia anterior,  e de ouvir a frase, 'eu te avisei',  do maridão,  voltei aos quadros e as paredes desta vez ajudada pelo meu amor, foi tudo bem mais fácil, claro com amor o que não fica fácil? E a sala ficou nova com novas paisagens esperando minha gripe sumir para todo o sempre, amém,  e chegarem  as festas de Natal e ano novo, quem sabe com um Brasil melhor.
FIM                                                                               Léah


domingo, 27 de novembro de 2016

A lógica e a Inteligência dos cães

 Natasha ( fotografia)




Natasha minha "cã" gooorda e gulosa machucou a unha da pata traseira que se abriu no sentido vertical, sangrou e inflamou não se sabe como se deu o acidente!
E lambia a patinha  que não parava de sangrar, e ficava choramingando, fizemos um curativo com o remédio indicado, demos um anti-inflamatório , colocamos atadura e enfiamos  uma meia de bebe, que ficou sendo igualmente lambida numa tentativa louca de arrancá-la, até que conseguiu mas só a meia. E continuou a gemer, morríamos de pena e a enchíamos  de petiscos, biscoitinhos, ossinhos de pele...
Colocamos outra meia, falamos cerca de cem vezes a frase: --Não lambe Natasha, deixa a patinha quieta—.
Ela é muito inteligente, parava, ficava olhando para nós, com a pata levantada a meio mastro, mas assim que virávamos as costas ela recomeçava a lambeção...
Dia seguinte mudamos o curativo imundo , e ela levantava a patinha, e gemia, dávamos um petisco ela se calava e ficava nos olhando esperando mais,  ate escutar a frase: ---Acabou, vai dormir, vai latir,,, Ela levantava a patinha e gemia!!!!  No terceiro dia a unha estava colada e a pata desinflamada, mais um dia de curativo e gemeção até que ficou boa.  Mas todas as vezes que queria um petisco levantava a pata e gemia, naturalmente  achando- nos ,seus donos tolos! Como parei de atender sua artimanha, ela desistiu ou esqueceu-se deste ardil.
As vezes ela me espanta, é mais inteligente que as outras duas, faz coisas que até os santos duvidam.
Observei que nós os humanos primeiro comemos a salada, que não costuma ser o mais gostoso de uma refeição, depois os pratos principais e mais saborosos, essa  é a lógica humana. Os cães primeiro comem o mais gostoso, carne, osso, depois o arroz com legumes
Talvez que se os cães e principalmente a Natasha  falassem nos diriam :
"---Claro que comemos o bom primeiro, vá que aconteça uma hecatombe e a gente só comeu aquele arroz com aqueles legumes sem graça, e como ficariam os ossinhos suculentos  e  as  carninhas ? certamente se perderiam, assim sendo primeiro o bom da vida depois se sobrar espaço e sempre sobra no meu bucho, a gente come o bate entope, tá? . ---".
Essa é a lógica canina.
 Fim                                                    Léah