Minhas Pinturas

Seguidores

Minha lista de blogs

sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

Silêncio

óleo sobre tela 35 x 35cm "Pausa"


Se eu quiser ouvir o silêncio, tenho que ficar só, acalmar os pensamentos, relaxar o corpo, calar os sentimentos.
Não ouvir os barulhos das folhas, dos galhos que caem, ou da areia, movidos pelo vento.
Não ouvir o chilrear dos pássaros, ou o chiar das cigarras.
Ouvir o silêncio é como respirar a paz, é como voar sem asas.
É descansar. 
                                                                          Léah

Voltando de viagem ao Chile, presente de aniversário dado ao Henrique por seus filhos e por mim, foi ótimo, mas viagem cansa e já estava com saudades destes encontros virtuais.
Que todos estejam bem neste novo ano.
Beijos

terça-feira, 18 de dezembro de 2018

NATAL

Estrela de Belém


Como descrever o que é o Natal para mim? Ele começa bem antes do dia 25! Sinto-me envolvida por uma espécie de ansiedade prazerosa, à espera de um grande acontecimento, e que é na realidade, afinal estaremos comemorando o nascimento de Deus!
Enfeitar a casa, pensar na ceia, na reunião com familiares e/ou com amigos. Gosto desta época é o ‘Espirito de Natal’ presente, e meu coração fica cheio de alegria, e quero festejar! Não estou falando de ganhar presentes, o presenteado tem que ser o aniversariante. Estou falando da alegria singela, de ser grata por estar viva, por ter meus filhos e marido compartilhando juntos, por ter uma casa para nos abrigarmos, por termos o pão de cada dia com fartura, por poder ajudar ao próximo, por ser feliz, apesar das pedras no caminho, de ter nascido e evoluido e comemorar mais um Feliz Natal. Ele sempre nos presenteia, portanto comemorar com alegria o seu dia é o mínimo e bem pouco, o que podemos  fazer...
Assim é o Natal para mim.
Desejo a todos, amigos e amigas, uma alegria contagiante, muita paz, saúde, união, fartura, amor, um dia de Natal maravilhoso. E para  2019, um mundo melhor, com menos violência, e  que todos os planos de vida, e sonhos se realizem.
Beijos a todos e até ano que vem.
Léah

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

"O CORAÇÃO DA CASA"

Acrílico sobre tela 30cm x 30cm  "Engradado"


Gosto de tomar meu café da manhã num lugar que agrade meu olhar. E, no lugar escolhido, avisto meu pequeno jardim bem florido, e mesmo em dias de chuva, a vista é bem agradável.
Ali degusto o paladar e o olhar, e também o pensamento voa, por isso essa questão me veio à cabeça.
Achei engraçado o codinome que deram às cozinhas em alguns programas de decoração na TV, simplesmente ‘o coração da casa’!
Como pode ser o coração da casa o lugar onde se mais trabalha, por mais simples que seja o menu?
Vejam só: se resolvermos fazer o almoço para a família e começarmos pensando numa simples salada, o primeiro passo é limpar as verduras, pegar uma tigela onde colocamos as folhas e umas colheres de vinagre ou umas gotas de cloro, enxaguar bem depois de alguns minutos, e aí naquela secadora de folhas, com aquela manivela, que nos leva ao esforço de girar, girar, girar...
Depois de secas, colocamos na saladeira, junto com o que desejarmos, como maçãs verdes picadas, tomates, pepinos em rodelas, cenouras partidas bem fininhas, salpicamos sal, gotas de limão e azeite à vontade. Teremos uma salada gostosa mas que deu um trabalho!
Feita a entrada passa-se para o segundo prato, vamos ao arroz que pelo menos aqui em casa está sempre presente, e nem somos chineses J! Aí lá vem outro recomeço: dar uma lavadinha no arroz, ferver água numa chaleira, refogar tempero numa panela à parte, aguardar que cozinhe... Por favor não o deixe queimar.
 Vamos aos legumes, que não faltam nunca! Se fizermos vagens na manteiga, brócolis, batatas douradas, ou abobrinha verde, qualquer legume, qualquer que seja, dá um trabalho Hercúleo! Lavar, picar, descascar, cozinhar...
E, ainda não falamos do prato principal. Para quem não é vegetariana como eu, pode-se escolher carne de frango, de boi, de porco ou peixe, e aí sim, lá vem trabalho! Tenho certeza de que neste pica, corta, lava, tempera, cozinha,  leva-se mais de horas em pé, andam-se uns quilômetros da pia até o fogão ou até a geladeira. Maratona, isso é o que é.
Gente, para mim é loucura chamar a cozinha o coração da casa, prefiro chamá-la de ‘Artrite da casa’, porque tenho certeza que é onde elas surgem, a artrite ou a artrose, claro depois de toda esta luta! E quando você acaba, por favor não fique na cozinha para degustar tudo que fez, mesmo que a mesa seja grande, escolha um lugar realmente que fale ao seu coração, aquele cantinho da copa, ou na sala de jantar. Não tem? A casa é pequena? A mesinha na varanda, ali olhando as flores do seu vaso de petúnias, ou mesmo aquela samambaia verdinha, mas cuidado que não é salada... O cantinho debaixo da janela, no corredor na porta do vizinho, que tal? Tudo é melhor do que na ‘cozinha-artrite’, porque lá, você vai ver a pia e o resultado: todos os utensílios que você usou, sujos, esperando empilhados alegremente serem lavados! E se não tens uma lava louças, vais ter que encarar a pia! Assim que todos terminarem e você ali sozinha limpando o fogão, o balcão espirrado e engordurado, coisas para guardar na geladeira, e ainda se sentindo com o mesmo cheiro do assado ou do peixe que fritou... E ainda chamam tudo isso de coração da casa?
Para mim o coração da casa pode ser o lugar onde me sinta bem, onde eu descanse, leia, pinte um quadro, molhe minhas plantinhas.
Sai fora pensamento chato, vou mesmo é comer no self-service, aqui pertinho de casa, e nada de “coração da casa”, isso deve ser para quem nunca teve que cozinhar, mesmo sem gostar.
Léah                                                                                                                            Fim

sábado, 8 de dezembro de 2018

O Predador

óleo sobre tela 30cm x 20cm "muitas cores"

Quando se tem um desejo, sonho que nos levará a felicidade e a realização e podemos quase pegá-lo, sentir sua existência macia e colorida em tons vivos, assim como um arco íris. Ele terá vida cheia de detalhes, que vamos arrumando e lustrado em todas as horas de nossos dias.
Quando já certos tranquilos de que a vida é bela e tudo se fechará com chave de ouro! Sabem o que acontece? E é de repente, topamos com um predador de sonhos, que vem de armas na mão e o abate com garras de ferro.
Será este predador nosso inconsciente que o liquidou por nos acharmos não merecedores? Será nosso amargo destino? Será que foi para o nosso próprio bem, embora não o saibamos? Será, será, tantas dúvidas!

Seja como for ou de onde vier, será o fim de um sonho um desejo que encheria a vida de cores e aí, durante um tempo, tudo ficará insosso, sem odor ou cor, tudo escuro, mesmo que brilhe o sol lá fora, e o ar nos faltará ainda que estejamos no meio de um vendaval.
Eis que um dia tudo passa a vida volta plena, a alegria nos envolve, e embarcamos noutros sonhos, sem nem pensar no tal do PREDADOR.
Léah

segunda-feira, 19 de novembro de 2018

COINCIDÊNCIAS ??

óleo sobre tela 'As três maçãs'

Não acredito em coincidências, acho que as coisas acontecem e às vezes se repetem ou por imprudência, distração, lembranças que nos aprisionam. Não sei qual a razão, mas se analisarmos são apenas acontecimentos parecidos que chamamos de coincidência.
Dia desses, quando ia chegando em casa comecei a lembrar de um acontecimento que vivi num shopping. Íamos, filha, Henrique e eu em direção ao “engor-daite”, isto é comer pizza! Ao sairmos do carro no estacionamento que é ao ar livre, um carro parou atrás do nosso para liberar seus passageiros. Na frente um casal, ele era o motorista e dois rapazes que vinham no banco de traz e que saltaram, mas um deles prendeu o dedo na porta do carro, e a dor o fez sentar-se no chão se contorcendo, o outro ficou desnorteado, e o motorista e a mulher olharam com indiferença e foram embora, sem prestar socorro ao rapaz! A princípio ficamos perplexos, mas fomos até eles tentar ajudar, e o dedo do rapaz estava ficando roxo assim como ele que segurava as lágrimas. Descobrimos que eram de fora do Rio, e não conheciam nada estavam na casa do casal que os deixou ali, mas porque não prestaram socorro? Foi a pergunta que não consegui calar, não souberam responder, ou não quiseram. Seria a última noite deles por aqui, depois voltariam para o interior de São Paulo, onde moravam. Segundo eles, era hora de voltar o dinheiro acabou, estavam com a conta certa da passagem do ônibus, mas ainda voltariam para a casa do tal casal para dormirem e pegarem suas bagagens.
Chamamos o taxi que fica no ponto e os levamos até ao hospital mais próximo, foram atendidos entalaram a mão do dedo quebrado, um analgésico, e foram de volta para o shopping conosco, alegres de novo, viva a juventude! Ficaram por lá e nós fomos a nossa pizza, ganhar umas gramas em nossas barriguinhas...No fim da prazerosa ‘engor daite’, pegamos nosso carro e não pensei mais na questão
  Dias depois, estava eu pensando neste caso, entrei na nossa rua justo na hora que entrei no portão escutei pedidos de socorro! Era de uma vizinha que estacionou o carro ao lado de um poste da nossa rua e ao saltar do carro não puxou o freio até o fim, o carro com o balanço da porta andou e ela ficou com a mão e o pé presos na porta entre aberta, que ficou ali apertando a mão e o pé da pobre mulher! Ela começou a gritar por socorro, muitos vizinhos homens, eu e outras mulheres corremos para empurrar o carro para afastá-lo do poste e a porta abrir-se completamente e liberá-la, e lá fui eu levá-la ao pronto socorro do mesmo hospital onde foram os rapazes! Coincidência? Não, apenas um mau acontecimento parecido com o outro, que vi.
Desta vez voltei pra casa, sem comer pizza !
Fiquei pensando que preciso parar de pensar em dedos e mãos amassados por portas de carro, um caso é ruim, dois é péssimo e três nunca mais! Deve doer horrores.
Léah 

Nota: ela não quebrou nem o pé nem a mão, Graças a Deus.

domingo, 11 de novembro de 2018

A MOÇA DA CASA DA FRENTE

óleo sobre tela 36 x 18 cm  'Janela fechada'

Todo final de semana lá pelas sete horas da noite ela abria a janela do quarto, onde um grande espelho colado em um guarda roupas, que mostrava seus movimentos, tudo poderia ser visto por quem estivesse na rua ou nas calçadas e portões em frente. Aquele gesto era metódico e proposital, Luciana gostava de ser vista principalmente pelos rapazes vizinhos que sonhavam com a moça de olhos verdes. Ela se colocava diante do espelho, do grande espelho, como se fosse um palco, abria a porta do guarda-roupas, escolhia o vestido entrava no banheiro e de lá saia, se virava, rodava se admirava diante do espelho e os rapazes na calçada se acotovelando para verem e babarem de admiração! Mas ela prolongava aquela misancene, puxava outro vestido, entrava no banheiro e de lá voltava ao espelho.
- O caminho do espelho ao banheiro deve estar gasto mas vale a pena admirá-la é tão linda e vaidosa, uma bonequinha- diziam os rapazes.
Luciana sentava-se numa banqueta diante do espelho penteava os longos cabelos loiros, se maquiava, enquanto os rapazes nas pontas dos pés se esticavam lá na calçada tentando vê-la em seu jogo de cena.
Quando Luciana finalmente saia, nariz empinado, atravessava a rua passava bem perto para que os pobres admiradores sentissem o perfume barato, que ela dizia para as amigas, ser francês. Com um olhar de desprezo passava poderosa, se sentindo uma rainha.
Os rapazes a seguiam até a entrada do clube do bairro onde ela ia dançar, com os que tinham dinheiro para serem sócios do clube.
Um dia Luciana se apaixonou por um moço bonito com farda da marinha, todo pomposo. A janela se fechou por longos meses, Luciana e o pomposo ficaram noivos, por mais longos meses, como a janela não se abria, os pobres rapazes desistiram.
Um belo dia a janela estava de novo aberta, Luciana em frente ao espelho, esperava ansiosa pelos pobres rapazes, mas haviam desistido assim como o noivo pomposo que com ela não se casou.
Por anos a fio Luciana tentou encontrar o olhar de seus pobres rapazes admiradores, como nunca mais os achou, a janela para sempre se fechou.
. fim.                                                                                                           Léah

sábado, 20 de outubro de 2018

A ESCOLHA

desenho crayon -dúvida


Às vezes ficamos numa encruzilhada querendo saber qual caminho escolher, mas nem sempre é uma simples escolha, principalmente quando depende de optar qual candidato seria melhor para governar nosso País.
E é também às vezes que a escolha é tão difícil que se torna quase impossível não errar! Ou erraremos com qualquer das escolhas, uma nos levará a candidatos com processos na justiça de roubos e falcatruas, outro quer implantar um regime que levamos vinte anos sofrendo sob punhos duros e espadas cortantes. Existem outros tantos candidatos, mas já sabemos de todas as implicações judiciais que todos têm, ou de suas promessa repetitivas que nunca se concretizaram.
E ainda no final de tudo nos o povo levaremos a pecha de que não sabemos escolher e votar, mas numa situação assim quem saberia?
Sei que a responsabilidade de cada um de nós brasileiros é enorme, e assumi minha cota ao votar.
Quero continuar a ter uma esperança imortal de que a consciência desses homens seja maior que todos os interesses pessoais de levarem vantagem, de enriquecerem a todo custo esta esperança, que brote neles o patriotismo, que os levem a perceber a grande dádiva que nos foi dada por Deus, que se chama BRASIL. Que despertem para o grande mal que a corrupção a falta de honestidade causou a milhões de pessoas.
Não sei se meu voto foi e será certo ou justo, só sei que cumpri meu dever de cidadã, e espero muito que tenha valido a pena.
Léah